Direção do CAMPREV atua para evitar prejuízos aos aposentados com descontos consignados

O Camprev promoveu uma reunião, na quinta-feira (11/01), na sede do Instituto, para comunicar aos representantes de bancos e outras instituições financeiras presentes que eventuais atrasos no repasse de valores para pagamento de consignados não podem gerar cobrança de juros de mora contra os aposentados e pensionistas, bem como identificar oportunidades para a redução de taxas bancárias cobradas aos segurados do CAMPREV.

O Presidente do Camprev, Dr. Campos sustenta que os aposentados não podem ser onerados por juros de mora, uma vez que eles não deram causa a qualquer demora no repasse de valores referentes a pagamentos dos consignados descontados em folha de pagamento.

Na reunião também se buscou identificar oportunidades para a redução das taxas cobradas por cada instituição; a possibilidade de redução das margens de juros cobrados pelos bancos; a não cobrança de juros por eventuais atrasos no cumprimento das obrigações pelos segurados e o alongamento dos prazos para pagamento, mediante revisão dos contratos.

A preocupação existe e a tomada de providências é necessária para maior proteção ao orçamento familiar dos idosos, cujos recursos familiares estão expostos aos efeitos negativos da atual crise econômica, ainda mais se considerando que os valores concedidos levam em conta o valor do benefício mensal que o aposentado ou pensionista recebe. Daí a importância do encontro para a elaboração de propostas. As entidades se comprometeram a examinar algumas possibilidades de atendimento para oportuno retorno do assunto à direção do CAMPREV.

Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Alfa, BMG, Paraná Banco, Banco Safra, Banco Pan, Banco Daycoval, foram as instituições financeiras representadas na reunião. Pelo CAMPREV, além do seu Presidente, participaram também o Diretor Financeiro, Elias Lopes da Cruz, a Diretora Previdenciária, Aline Pécora, a Diretora Administrativa, Cristina de Campos.